Mixtape: Ponto de Equilíbrio | Sobrebarba


Mixtape: Ponto de Equilíbrio

Faz mais de um ano que o Mateus Medeiros não corta, arranca nem apara sequer um fio de sua barba. Nem do cabelo, aliás. Mas não se trata de nenhuma promessa nem de aposta. Ele é Sikh e professor de Kundalini Yoga.

Essa vertente de Yoga está filosoficamente associada ao Sikh Dharma, em que os homens costumam deixar barba e o cabelo crescerem livremente, além de usarem turbantes. Um Sikh também recebe um segundo nome. Por isso Mateus também conhecido por Gururaj Singh.

"Os pelos nascem onde existe uma alta atividade glandular. Deixá-los ali faz com que aquela glândula funcione melhor. Além disso, a barba em especial protege a garganta e a tireoide. Existe um ponto no queixo do homem, que é o ponto da lua, que é protegido pela barba, deixando o homem mais estável. E ele precisa ser estável para permitir que a mulher seja hormonalmente instável, já que essa instabilidade na mulher é necessária para que ela gere vida.", explica ele.

"O objetivo do Yoga é aumentar seu nível de consciência de uma forma completa por meio das asanas (as posturas), da respiração, das posições das mãos… A Kundalini Yoga tem uma ligação filosófica com o Sikh Dharma, difundida no ocidente no fim da década de 60 por Yogi Bhajan, que mostrou esse estilo de vida", conta.

“Pra praticar a Kundalini Yoga não é preciso seguir um dogma. Não é obrigatório usar barba e turbante, por exemplo. Mas como Sikhs, tentamos ser o mais saudável possível. Somos lactovegetarianos, não comemos ovos nem carne."

No entanto, engana-se quem pensa que barba não aparada é sinônimo de barba descuidada. 

"A barba está no rosto da gente, temos que ter um cuidado especial com ela. O pente de madeira é essencial para tirar a eletricidade do pelo. Passo o dia inteiro trabalhando e, na hora de relaxar, se tiver muita eletricidade na barba, fica difícil relaxar." 

Outro recurso para relaxar, aliás, é a música. "A música é muito forte na tradição da Kundalini. As que separei para a Mixtape são as que mais escuto nas aulas, em meditações específicas, o dia inteiro, na verdade… Quem não faz aula pode escutá-las para relaxar normalmente". 

Então aperte o play. Sat Nam!

[ Assine e ouça a Mixtape também no Spotify ]


1 Comentário

Drika lima
Drika lima

April 25, 2016

Que linda filosofia de vida adotada por você Matheus. Com a correria do dia a dia, na maioria das vezes é impossível imaginar um tempo para se dedicar à algo tão sublime quanto a yoga. Quando eu crescer quero fazer algo parecido. Parabéns!

Deixe um comentário