Vejo pixels em você - Sobrebarba

Vejo pixels em você

por Samuel Tonin Novembro 08, 2015

O Donkey Kong largou as bananas e foi dar um rolê por Botafogo, o Pac-Man já foi visto pelo Aterro do Flamengo e o Toad do Super Mario já deu pinta em Belo Horizonte.

Outros tantos ícones de games vêm tomando conta de cidades como Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília…

Tudo obra do projeto 8-bitch, do casal formado pelo bigodudo Luca Bastolla e pela jornalista Maria Carol. Com pastilhas de vidro ou azulejos de cerâmica, a dupla vem recriando, há quase 2 anos, personagens e elementos de games famosos em pixel art, que são colados em postes, muros, no chão de grandes centros urbanos e até de locais paradisíacos, como a Chapada dos Veadeiros.

“Desde a nossa primeira saída para fazer o trabalho, o fantasminha do Mário, que colocamos na Lapa, a galera já ficou amarradona!”, lembra Luca.

Em cada lugar, os personagens ganham uma “cor” local: é o caso da baianinha feita em Salvador, ou do personagem do Mário, que ganhou uma fantasia japa antes de ser aplicado no bairro da Liberdade, em São Paulo.

“Até hoje a gente tenta fazer com que a obra converse com o local. Antes de viajar, a gente quebra a cabeça para levar a peça já pronta para ser instalada. Até porque precisamos de espaço para fazer o preparo”, explica Luca, que usa spray para colorir as pecinhas a serem usadas.

Recentemente, o 8-bitch expôs no Art Rua, mostra de arte urbana paralela ao Art Rio, e também foi convidado para o maior desafio até então: no lançamento do filme “Pixels”, a distribuidora Sony Pictures convidou a dupla para montar um mural de 6mx5m na estação de metrô Pinheiros, na capital paulista. Mãe, irmãos, pai, a família toda ajudou Luca e Carol a pintarem as peças.
“Foi uma aventura, porque a gente só tinha uma semana para instalar tudo, e isso só das 23h às 4h, que é quando o metrô fecha. Convocamos nossos irmãos, uma amiga e até o menino do hostel em que estávamos para ajudar a colar!”

Nesta semana, vão expor 5 quadros no Espaço Vanguarda Vanguarda (é assim mesmo, 2 vezes a palavra Vanguarda), na Fábrica Bhering, dentro da programação da Semana de Design Rio.

Depois embarcam em uma viagem de 10 dias para Fortaleza: por lá vão participar do Festival Concreto, de arte urbana, além de espalhar suas pecinhas pela capital cearense.

Quando não estão trabalhando no 8-bitch, Luca e Carol gostam de, vejam só, jogar videogame!

“A gente adora, joga pra caramba. Temos em casa Super Nintendo, Nintendo 64, PS-3, Wii… Fim de semana passado comprei o game ‘PES 2016’… Jogar é uma forma de inspiração!”

Além dos games, os sons da Mixtape abaixo os inspiram a criar sua arte. Aperta o play:

[ Assine e ouça a Mixtape também no Spotify ]





Samuel Tonin
Samuel Tonin

^

Publicitário, ciclista, gamer e aspirante a baixista nas horas vagas. Fundador da Sobrebarba.



Leia também

Um estudo mediu o quanto a barba realmente protege do sol
Um estudo mediu o quanto a barba realmente protege do sol

por Samuel Tonin Novembro 15, 2017 0 Comentários

Que a barba pode proteger o rosto contra os raios solares, isso muita gente já sabe. Há até quem diga que a barba é um protetor solar natural. Mas qual é esse fator de proteção? O quanto realmente a barba protege dos raios UV?

Pesquisadores da Universidade de Queensland, na Austrália, bolaram um jeito de medir isso.

Ver artigo completo →

O hacker barbudo que inspirou Steve Jobs a fundar a Apple
O hacker barbudo que inspirou Steve Jobs a fundar a Apple

por Flavia Martin Novembro 10, 2017 0 Comentários

John Draper, também conhecido como "Captain Crunch", é um dos mais importantes hackers do mundo e está no Brasil para participar do Roadsec, festival sobre a cultura hacker que acontece neste sábado, dia 11, em São Paulo.

E ele trocou uma idéia com a gente sobre hacking, privacidade nas redes sociais, ética, inteligência artificial e, claro, sobre barba. ;D}}

Ver artigo completo →

Como deixar a barba macia, saudável e livre de preconceitos
Como deixar a barba macia, saudável e livre de preconceitos

por Samuel Tonin Novembro 07, 2017 0 Comentários

Quando começamos a cultivar uma barba é bem comum ser pressionado por amigos, parentes ou colegas de trabalho pra raspar esses pelos da cara, como se deixar a barba crescer fosse sinônimo de falta de cuidado. O estereótipo do barbudo sujo e desleixado tem a sua razão de existir. Se você simplesmente deixar a barba crescer, sem os cuidados certos, ela pode ficar ressecada, e sem forma.

Ver artigo completo →